Navegando pelas incertezas do futuro: o papel crucial do gerenciamento de riscos para os empregadores

31 de outubro de 2023

Compartilhar no LinkedIn Compartilhar no Facebook Compartilhar no X

No ano passado, a Sedgwick adquiriu a Direct Health Solutions (DHS), uma das principais fornecedoras especializadas de soluções de telessaúde para empregadores na Austrália. Neste blog, temos a participação de Christina Wunder, que fala sobre a importância do gerenciamento eficaz de riscos. 

Nos últimos anos, o gerenciamento de riscos tornou-se uma preocupação primordial para os empregadores, exigindo igual atenção aos riscos imediatos e visíveis, bem como aos latentes e imprevisíveis. O cenário dos riscos no local de trabalho evoluiu significativamente, e os empregadores agora precisam lidar tanto com o impacto tangível do vírus quanto com as possíveis consequências de longo prazo. Este blog se aprofunda na importância do gerenciamento de riscos para os empregadores, lançando luz sobre os desafios apresentados pela COVID-19 e fornecendo insights sobre estratégias eficazes para mitigar esses riscos.

Componentes psicológicos subjacentes

É importante reconhecer que, embora a COVID-19 seja citada como a principal causa de pedidos de indenização na Austrália, até 67% desses pedidos também englobam componentes psicológicos, como isolamento e medo. Esses fatores afetam significativamente o custo e a duração de um pedido de indenização por lesão, que pode ser até três vezes maior que o de um pedido de indenização por lesão física. Isso coloca os empregadores em uma encruzilhada de riscos exponenciais - um aumento no volume e na gravidade dos pedidos de indenização, acompanhado de um aumento de longo prazo nos custos de seguro.

Acumulação de passivos e impactos adversos nas reivindicações existentes

Além das novas reivindicações, as reivindicações existentes também estão sendo afetadas por uma série de fatores. Entre eles estão o aumento dos valores e da duração dos direitos em algumas regiões, a revisão das expectativas para a apresentação de atestados médicos e atrasos em intervenções cruciais, como cirurgias e exames médicos. Em meio a esses desafios, a função de recursos humanos (RH) de uma empresa desempenha um papel fundamental, moldando a capacidade da organização de navegar com sucesso por essas complexidades.

O papel dos recursos humanos e da intervenção precoce

A gestão eficaz de recursos humanos (RH) surge como um pilar central na mitigação desses desafios. O emprego de uma abordagem de intervenção antecipada prova neutralizar os fatores adversos que afetam os sinistros e a saúde dos funcionários. As plataformas de telessaúde se destacam como um meio poderoso para que o RH informe, avalie e resolva problemas de saúde física e psicológica antes que eles se transformem em preocupações generalizadas. Essa abordagem oferece a flexibilidade do uso remoto, permitindo que os gerentes de RH acompanhem, documentem e implementem rapidamente soluções para os problemas dos funcionários.

Uma abordagem holística para mitigar riscos

Além da indenização dos trabalhadores, os empregadores têm a responsabilidade de proteger o bem-estar físico e mental de seus funcionários. Isso é particularmente importante à medida que os locais de trabalho fazem a transição de volta a uma aparência de normalidade. Os órgãos reguladores enfatizam a importância das medidas de controle de infecções, impondo penalidades às empresas que não gerenciam esses riscos adequadamente.

Para mitigar os riscos de forma eficaz, os empregadores devem:

  1. Desenvolver uma compreensão profunda da saúde dos funcionários em toda a força de trabalho.
  2. Implementar sistemas e processos robustos para minimizar o risco de lesões ou doenças.
  3. Estabelecer programas de suporte para assistência imediata aos funcionários necessitados.
  4. Estender os serviços de apoio aos contratados e aos membros da família para abordar de forma holística o bem-estar psicossocial.
  5. Manter canais abertos para notificação de incidentes e revisão contínua dos processos de saúde e segurança.

Rumo a um futuro mais seguro

À medida que as empresas adotam ansiosamente uma realidade pós-pandêmica, o cenário continua repleto de incertezas. Os empregadores precisam lidar com riscos multifacetados, tanto imediatos quanto latentes, enquanto se esforçam para proteger o bem-estar de seus funcionários. O gerenciamento eficaz de riscos exige planejamento proativo, acompanhamento diligente e mitigação estratégica. A utilização de ferramentas de RH, especialmente plataformas de telessaúde, permite que as empresas enfrentem esses desafios de frente, garantindo um futuro mais seguro, mais saudável e mais resiliente tanto para os empregadores quanto para os funcionários.

Este conteúdo foi publicado originalmente pela DHS, uma empresa da Sedgwick.