Os T&C de reclamações de serviços e reparos na Nova Zelândia

23 de junho de 2022

Compartilhar no LinkedIn Compartilhar no Facebook Compartilhar no X

Por Tai Batchelor, chefe de responsabilidade, Nova Zelândia

Para os reguladores de sinistros que lidam com sinistros de serviços e reparos, qual é a relevância dos termos e condições (T&C) ao consultar um segurado?

Na Nova Zelândia, os avaliadores de perdas envolvidos em sinistros de responsabilidade por serviços e reparos geralmente vêm de um histórico de avaliação/reclamações de veículos motorizados ou mecânicos. Embora o conhecimento mecânico e a compreensão da causa ao investigar um determinado sinistro de serviço e reparo sejam vitais, é igualmente importante que os acordos contratuais envolvidos sejam devidamente estabelecidos e relatados. Para alguns ajustadores de perdas, esse pode ser um território desconhecido e, portanto, pode haver uma tendência a dar menos atenção a esse aspecto da investigação. O resultado disso, entretanto, pode ser prejudicial ao cliente.

Embora muitos de nossos clientes não exijam que comentemos sobre responsabilidade legal e/ou questões de resposta à apólice em nossos relatórios, os sinistros de serviços e reparos estão se tornando mais complexos - muitas vezes com várias partes envolvidas na avaliação. É essencial que o avaliador de perdas obtenha todas as informações contratuais relevantes relacionadas aos trabalhos realizados na ocasião. A obtenção e o relato de todas as informações relevantes a esse respeito garantem que nossos clientes estejam na melhor posição possível para considerar a resposta da apólice e a possível responsabilidade legal.

Exemplos do mundo real

Recentemente, o gerente de responsabilidade civil de um cliente questionou se as informações do contrato relatadas por um avaliador de perdas eram completas e precisas. Em seu relatório, o avaliador de perdas declarou que "o segurado não tinha termos e condições comerciais que se aplicassem ao assunto em questão". No entanto, como se viu, o segurado tinha termos e condições (T&C) por escrito que se aplicavam. Nesse caso, o avaliador de sinistros envolvido simplesmente perguntou à pessoa errada (funcionário do segurado) e aceitou pelo valor nominal o que lhe foi dito. A resposta dada poderia ter afetado drasticamente o resultado do sinistro.

Nesse exemplo específico, o caminhão de extração de madeira de um terceiro reclamante sofreu danos irreparáveis no motor após uma omissão do funcionário do segurado. Os custos de reparo estimados eram de mais de US$ 60.000 e foi iniciada uma reclamação por perda de uso do caminhão. Em virtude de uma declaração assinada contida na solicitação de crédito do reclamante junto ao segurado e dos T&C associados que o reclamante havia assinado e concordado, foi considerado pelas seguradoras que o segurado havia limitado sua responsabilidade perante o cliente reclamante em termos de contrato e ato ilícito (negligência) por qualquer perda ou dano. Isso se refere ao custo dos serviços prestados e que o segurado havia excluído sua responsabilidade por qualquer perda consequente.

Lições aprendidas

Os clientes dependem dos ajustadores de perdas para obter informações relevantes que os coloquem em posição de tomar decisões informadas sobre a resposta da apólice e a responsabilidade legal. Ao solicitar informações sobre contratos aos segurados, é importante direcionar sua consulta à pessoa correta. Caso contrário, como vimos no exemplo acima, você poderá receber informações incorretas ou possivelmente distorcidas.

As informações do contrato que podem ser obtidas como parte da consulta de responsabilidade de serviço e reparo podem incluir:

  • Uma visão geral da matriz contratual: os nomes das partes/entidades envolvidas, quem fez o quê para quem e em quais termos, o que foi acordado e o preço pago.
  • Cotações: geralmente definem os trabalhos acordados e os nomes das partes, e podem fazer alusão aos T&C e às especificações/padrões aplicáveis.
  • Ordens de serviço: também podem definir os trabalhos acordados, as especificações/padrões, confirmar as datas e os nomes das partes, e também podem fazer alusão aos T&C aplicáveis.
  • Faturas (para trabalho original): confirmam os trabalhos supostamente concluídos (e cobrados), o preço pago e as partes, e podem fazer alusão aos T&C aplicáveis.
  • Solicitações de crédito: Em virtude da assinatura de uma solicitação de crédito com o segurado, o solicitante (cliente) pode concordar que os T&C do segurado se aplicam a todos os bens e serviços fornecidos pelo segurado. Isso pode servir como forte evidência do que o cliente concordou e, além disso, de que ele leu, tomou conhecimento e concordou com os T&C antes da conclusão dos trabalhos em questão.
  • T&C : Os T&C podem limitar a responsabilidade do segurado ao preço dos serviços/bens fornecidos e/ou excluir totalmente a responsabilidade do segurado por ato ilícito, contrato e reclamações por perdas consequentes.

A obtenção das informações acima e a elaboração do relatório correspondente podem ajudar o cliente a determinar adequadamente a responsabilidade contratual/legal do segurado (e possivelmente de qualquer outra pessoa, para fins de recuperação) e com quem as obrigações de seguro relevantes podem estar. Essas informações, combinadas com informações detalhadas sobre o histórico da associação das partes e como o contrato foi formado, também podem ajudar o cliente a decidir se os T&C informados pelo avaliador podem ser aplicáveis. Felizmente, em nosso exemplo de caminhão madeireiro, os T&C do segurado (e uma cópia da respectiva solicitação de crédito assinada) puderam ser obtidos retrospectivamente pelo regulador de sinistros envolvido. Depois que o cliente analisou cuidadosamente esses documentos e as informações de base relatadas pelo perito de sinistros, foi feita ao reclamante uma oferta que refletia a extensão da responsabilidade legal do segurado de acordo com os T&Cs aplicáveis - substancialmente menor do que os US$ 60.000 (mais perda de uso) reivindicados.

Como regra geral, ao realizar uma investigação de sinistro de serviço e reparo, especialmente em uma situação business-to-business (B2B) envolvendo um veículo comercial usado para fins comerciais, obtenha os T&C aplicáveis e os documentos contratuais associados e certifique-se de direcionar sua consulta à pessoa certa ao solicitá-los.

Com um dos maiores grupos de peritos de responsabilidade civil da Nova Zelândia, a Sedgwick está pronta para apoiar e resolver os desafios que as empresas enfrentam todos os dias. Para obter mais informações, visite nosso site ou leia o folheto.