Amassados, marcas e danos em veículos: O papel da PDR

3 de agosto de 2021

Compartilhar no LinkedIn Compartilhar no Facebook Compartilhar no X

Escrito por Douglas Dell, vice-presidente e diretor da Vale Training, uma empresa da Sedgwick

Seu primeiro contato com o reparo de amassados sem pintura (PDR) pode ter sido após uma ida ao supermercado ou uma noite de mau tempo.

Independentemente de seu veículo ter um pequeno amassado causado por um carrinho de compras ou um dano grave causado por uma tempestade de granizo, os resultados se apresentam como um ou vários impactos que não mostram sinais de danos à pintura. É aí que entra o PDR. A maioria dos danos é medida em um sistema de moedas: dez centavos, cinco centavos, 25 centavos e mais. E, durante anos, o sucesso foi medido por inspeção visual e se o amassado havia sido achatado. Mas a tecnologia avançada está mudando o jogo.

Há mais de uma década, a Vale desenvolveu um novo processo para medir a precisão do reparo usando uma tecnologia que antes era limitada aos setores de manufatura e aeronáutico. O protocolo de teste introduziu a digitalização em 3D, medindo a profundidade e a remoção do amassado em termos de mícrons (1/1000 de um milímetro). O nível de precisão que isso proporcionou foi diferente de tudo o que já foi visto no setor. A capacidade de medir com precisão um reparo fornece evidência estatística de que o veículo foi devolvido a uma condição próxima da original, mantendo o valor anterior à perda a custos normalmente mais baixos do que um reparo tradicional de carroceria. Então, o que torna os protocolos de PDR certificados pela Vale tão importantes?

Sensores, calibração e segurança

Os sensores são componentes essenciais para o veículo moderno. Como os olhos do carro, eles possibilitam tudo, desde os recursos existentes dos sistemas avançados de assistência ao motorista (ADAS), como a frenagem automatizada e a saída da pista, até a assistência ao estacionamento. As consequências de esses "olhos" não apontarem para a direção certa ou não enxergarem com clareza podem resultar em uma frenagem desnecessária no meio da rodovia ou em um desvio repentino para outra faixa.

A calibração é um dos principais fatores que garantem que os sensores de um veículo estejam operando de acordo com os padrões do OEM. Durante o processo de reparo, os técnicos de PDR utilizam ferramentas que entram na parte traseira dos painéis do veículo. Se isso não for feito corretamente, há o risco de que a operação desses sensores de segurança essenciais, incluindo a ativação do air bag, seja danificada, alterada ou cancelada. Antes de qualquer trabalho ser feito, a verificação pré-reparo de um veículo garantirá que todos os danos causados por um evento sejam identificados e que o seu pedido de indenização de seguro contabilize adequadamente qualquer dano a esses sistemas críticos. Após a conclusão dos reparos, recomenda-se um exame pós-reparo para verificar se o veículo e todos os seus recursos de segurança estão funcionando corretamente. Não é mais aceitável dizer "parece novo". Sem o escaneamento prévio e posterior, você pode estar aceitando seu veículo com milhares de dólares em tecnologia comprometida.

Desvalorização de um veículo

Um procedimento comum, porém inadequado, do PDR é a prática de fazer furos para acessar os painéis. Quando os técnicos fazem furos nos painéis para obter acesso rápido, eles danificam permanentemente a capacidade de colisão do veículo, enfraquecendo a estrutura segura do veículo e diminuindo seu valor. Em vez disso, os técnicos certificados pela Vale empurram ou batem cuidadosamente nos painéis para que o veículo volte à condição anterior ao dano.

Para evitar a desvalorização dos veículos e promover a segurança, estamos instruindo os técnicos sobre o processo de PDR e a importância do escaneamento pré e pós. Esperamos que você aproveite a oportunidade na próxima Mobile Tech Expo, em Las Vegas, onde nosso parceiro nos EUA, a PDR Testing and Certification, realizará avaliações de técnicos durante o evento, de 26 a 28 de agosto. Além disso, a Vale realizará sessões de treinamento sobre estimativas e veículos elétricos (EV) e anunciará uma bolsa de estudos em homenagem a Bobby Walker, um instrutor da Vale e certificador PDR que faleceu em 2020. A bolsa de estudos oferecerá acesso a um dos programas automotivos, de reboque de trator ou de equipamentos pesados da Vale para aumentar as habilidades e oportunidades de carreira. Fique ligado para mais detalhes sobre as oportunidades de certificação PDR e atualizações da feira.